Qua. Ago 3rd, 2022
Barcelona, a quarta cidade com o maior aumento no investimento imobiliário nos EUA.

Barcelona é a quarta cidade do mundo em que o investimento imobiliário dos Estados Unidos aumentou mais no primeiro semestre do ano, de acordo com dados da empresa de consultoria imobiliária CBRE. Xavier Güell, director do escritório de Barcelona da empresa, explica que enquanto o investimento médio nos últimos cinco anos foi de cerca de 110 milhões, este ano subiu para mais de 250 milhões. Os maiores aumentos no investimento dos EUA foram em Copenhaga, Sidney e Hong Kong.

Güell salienta que o aumento do investimento imobiliário nos EUA faz parte de um ano recorde para o mercado de escritórios de Barcelona, que registou o seu melhor desempenho em 14 anos, logo após 2007, o pico do boom imobiliário do ciclo anterior. “Vamos encerrar o terceiro trimestre com um investimento acumulado em escritórios de 1,1 mil milhões de euros, ultrapassando mesmo o investimento de 2019, que já era muito bom”.

Güell salienta que 90% do investimento em escritórios na cidade provém agora de fundos internacionais, uma proporção sem precedentes, contra apenas 25% em 2016. Güell admite que existe um certo “efeito de ricochete” dos investimentos que não puderam ser encerrados no ano passado devido à pandemia, mas noutros grandes mercados de escritórios como Madrid, os investimentos estão ainda longe dos níveis de 2019, de modo que em Setembro a capital catalã terá acumulado 80% dos investimentos dos escritórios feitos em Espanha este ano.

“Os investidores internacionais apreciam, por vezes mais do que os investidores locais, o bom estado do nosso mercado imobiliário: nos últimos anos assistimos a taxas de vagas muito baixas, a um grande aumento das rendas líquidas e a um dos mais fortes aumentos de renda na Europa. Apesar disso, as rendas permanecem baixas em comparação com outras cidades semelhantes, o que ajuda o arranque de novas empresas”. Segundo a consultoria, a renda média nos melhores edifícios de Barcelona é de cerca de 28 euros/m2/mês, enquanto que em Madrid, que é também uma cidade muito competitiva na Europa, é de 40 euros.

Güell explica que um dos pontos fortes do mercado imobiliário da cidade é a sua capacidade de atrair novas empresas, especialmente do sector tecnológico, que já representa 35% das transacções de aluguer na cidade. Já estamos nestes níveis há três anos”, diz Güell. Estas são empresas de TI, jogos de vídeo, programação, comércio electrónico… estes são sectores que não foram afectados pela pandemia e estão em forte expansão.

O investimento imobiliário está também a apoiar o sucesso do distrito tecnológico de Poblenou 22@. “Fortaleceu a marca numa cidade que já é muito atractiva, e o seu papel como cluster tecnológico ajuda”, acrescenta ele.

Mesmo assim, Güell admite que as rendas de escritórios ainda não voltaram aos níveis pré-crise: no primeiro semestre do ano, situavam-se em 123.500 m2, 53% mais do que em 2020, mas apenas metade do que em 2019. “Está a acontecer em todas as cidades: as empresas estão à espera para ver qual será a sua real necessidade de espaço quando a normalidade regressar e qual será o impacto final do aumento do teletrabalho”. No entanto, a CBRE estima que a necessidade de espaço de escritório irá diminuir apenas em 7%.
Necessidades de espaço de escritório. “O que se tem vindo a verificar é a procura de flexibilidade dos empregados, e pelo que vimos, a presença será concentrada de terça a quinta-feira: assim, a necessidade de espaço dificilmente mudará”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

This site is registered on wpml.org as a development site.